terça-feira, 8 de março de 2016

Do café com aroma de afeto


DE TODOS OS PRAZERES DO SER HUMANO, VOCÊ ESTÁ DIANTE DO QUE TEM MAIS SABOR. ENTÃO, SE O PRAZER É UM BOM CAFÉ, FOI UM PRAZER TE CONHECER.
Uma das tantas alegrias da vida é lembrar-se de alguém por um motivo especial, seja ele um objeto ou lugar visitado. É como ver esculturas de gatinhos de madeira e automaticamente pensar naquela amiga defensora dos felinos; ou sentir o aroma de flor-de-laranjeira e recordar da pracinha onde brincava na infância...
Nossa mente é assim, faz links automáticos e por vezes inexprimíveis em palavras!
Mas melhor do que se lembrar é ser lembrada. E o que passo a descrever abaixo tem a ver com memórias afetivas, e aconteceu neste verão com meu pai.
Ele esteve numa cafeteria/confeitaria chamada Doce Art Café, no município de Torres/RS, e não sossegou até conseguir esta xícara de presente para mim.
Para isso, foi ter com o dono da cafeteria e contou da filha sonhadora, muito dada às leituras e escritas; contou do blog e dos clubes de leitura...   
Eis que, ao chegar do veraneio, me entregou este bonito regalo.
Lembrou-se da Camilla porque aquilo que nos é caro nos constitui e, portanto, torna-se parte da gente. Somos lembrados pelos afetos expressados e obras realizadas, tal como o amor paterno marca num filho sua incansável força cuidadora!
Meu pai fez questão de concretizar seu afeto assim, o que de certa forma também representa a sua simplicidade: o aroma das palavras servidas numa singela xícara de café.
Um beijo,
Camilla.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget